Rondônia, segunda-feira, 27 de junho de 2022, - Email: [email protected] - Telefone: 69 9957-2377








Após relatar dificuldades para alimentar 4 filhos com R$ 400 por mês, diarista ganha doações

- anúncio-

Foto: Divulgação

Após relatar à Rede Amazônica sobre a dificuldade de alimentar quatro filhos e pagar as contas da casa com R$ 400 mensais, Luciana Roberta recebeu uma doação de alimentos e outros itens básicos para casa esta semana, em Porto Velho.

- Advertisement -
- Advertisement -

A Central Única das Favelas (Cufa), que atende famílias em situação de vulnerabilidade, recebeu uma mensagem de uma pessoa que preferiu não se identificar, perguntando como poderia ajudar.

- Advertisement -

A pessoa enviou uma quantia em dinheiro e a Cufa entrou em contato com Luciana para perguntar como ela preferia gastar o valor. Para alimentar ela e os filhos, a diarista escolheu alguns alimentos e itens de higiene.

A família tinha saído da zona urbana para um sítio, justamente porque não tinham alimento. Na terça-feira (21), eles voltaram para casa e uma equipe da Cufa foi entregar as doações.

“Eu queria agradecer a pessoa que me abençoou hoje com os alimentos, eu realmente estava precisando, pra mim e para os meus filhos”, comentou.

Entenda

No início do mês o g1 e a Rede Amazônica contaram a história de Luciana. Atualmente, a renda fixa mensal para os cinco integrantes da família é de R$ 400 do Auxílio Brasil (antigo Bolsa Família). Para tentar complementar a renda, a mulher trabalha fazendo diárias de faxinas, por exemplo, mas nem sempre tem serviço.

Segundo Luciana, com a renda que eles têm disponível e o alto preço dos alimentos atualmente, ela só consegue comprar os itens extremamente básicos. E a prioridades sempre são os filhos.

“Eu tenho que dividir bem direitinho, um pouquinho de cada. Às vezes eu não consigo nem um pouquinho de cada, sempre acaba faltando alguma coisa. A gente que é mãe e pai e vê as coisas faltando dentro de casa é muito doído. Chega a faltar, a gente conversa e explica. Os maiorzinhos até compreendem um pouco, os pequenos não entendem. É uma insegurança muito grande. A gente toca o barco, só que é muito difícil”.

Fonte: G1-RO

- Advertisement -
Erro, não existe o grupo! Verifique sua sintaxe! (ID: 10)












Veja também





Notícias relacionadas