Polícia Civil alerta sobre importância de denunciar violência contra a pessoa idosa

Foto: Divulgação Polícia Civil

O Departamento de Polícia Especializada (DPE) da Polícia Civil, alerta a população para a importância sobre denunciar violência e maus tratos contra idosos. O estado dispõe de dois telefones para denúncia de forma anônima: 100 e 197.

Segundo a Polícia, o apoio das pessoas que presenciarem atos de violência contra idosos, ou serem elas as próprias vítimas, ajuda às autoridades e colaboram com o trabalho investigativo e à devida punição dos criminosos.

A Polícia Civil dispõe de canais que auxiliam a comunicação do crime, como o Disque Denúncia 197, que resguarda a identificação do denunciante e o Disque Denúncia 100, nos casos de emergência com perigo à vida.

A violência contra a pessoa idosa pode ocorrer de forma visível ou invisível. As visíveis são as mortes e lesões, já as invisíveis são aquelas que ocorrem sem machucar o corpo, mas que provocam sofrimento, depressão e medo.

As formas de violência são: física, psicológica, negligência, institucional, abuso financeiro, patrimonial, sexual e discriminação.

A violência física ocorre muitas vezes dentro da própria casa da pessoa idosa, no seio familiar, ocasionada por filhos, cônjuge, netos, cuidadores, dentre outras. Através de agressões, tapas, ponta pés, beliscões, empurrões etc.

A violência psicológica é perpetrada na forma de agressões verbais, tratamento com menosprezo, desprezo ou qualquer ação que traga sofrimento emocional, como humilhação, afastamento do convívio familiar ou restrição à liberdade de expressão.

Já negligência trata-se da recusa ou da omissão de cuidados. É muito comum, pois se manifesta frequentemente tanto no seio familiar como em instituições que prestam serviços de cuidados e acolhimento a pessoas idosas.

O abuso financeiro é caracterizado pela exploração ilegal ou uso não consentido pela pessoa idosa de seus recursos financeiros. O violador se apropria indevidamente do dinheiro, cartões bancários e utiliza com finalidades que não sejam a promoção do cuidado.

 

Assessoria