Com profissionalismo do produtor e uma mão do cooperativismo, região de Cerejeiras terá mais uma safra de soja recorde em 2022

Preço e produtividade garantem rentabilidade para o produtor

Após o indispensável período de manutenção das máquinas, revisão dos equipamentos, movimentação necessária para correção de solos, mecanização de novas áreas e retirada de raízes em locais onde o pasto predominava, os agricultores da região centralizada em Cerejeiras – e que representa a maior produção de grãos do Estado de Rondônia – iniciam os preparativos para o início do plantio com a chegada das primeiras chuvas.

Tendo vindo de uma boa safra tanto de soja quanto de milho, seja no que se refere ao preço obtido pelo produto como pela produtividade alcançada na região, os produtores tiveram fôlego para saldar débitos, investirem maquinários, abrir novas áreas e adquirir mais terras.

Por isso, o espirito predominante é de otimismo, não obstante todas as variáveis que acompanham normalmente a atividade.

Segundo informes daqueles mais próximos ao dia a dia do agricultor, os vendedores de insumos e produtos destinados a atividade agrícola, que atingem um espectro mais intenso que os das trades ou das instituições financeiras, deve ocorrer uma expansão de cerca de 10% da área plantada em relação à safra passada na região, pois muitas áreas de capoeiras e pastagens foram incorporadas ao sistema produtivo de grãos, como nos municípios de Pimenteiras do Oeste, Cerejeiras e Cabixi. Este acréscimo poderia incorporar cerca de 18.000 hectares novos ao sistema produtivo agrícola. Se todas essas previsões se confirmarem, a região poderá ter uma safra recorde.

Tal panorama reflete diretamente nas atividades comerciais que sentem a movimentação dos recursos destinados a dar suporte ao sistema produtivo, gerando um círculo virtuoso da economia. A produtividade da cultura da soja na região de Cerejeiras está entre as mais elevadas do país, e o uso se tecnologia avançada vai permitir a manutenção deste patamar ou ainda possibilitar a conquista de novos desafios.

A multiplicação de secadores e armazéns na região, além de estradas bem conservadas, e uma estrutura de crédito consistente, seja por parte das instituições financeiras como por parte das trades, aliadas a um crescimento sensível e progressivo do cooperativismo na região, em especial pela atuação da Copama (cooperativa de produtores) e a Sicoob Credisul (cooperativa financeira), são fatores que trazem boas previsões para a safra que se inicia.

 

Fonte: Assessoria