Rondônia, Brasil, segunda-feira, 20 de setembro de 2021, às 21:28:57 - Email: fv@folhadevilhena.com.br - Telefone: 69 9957-2377




RondôniaPorto Velho e RegiãoDiretor da Delegacia de Homicídios diz que delegado morto foi atingido com...

Diretor da Delegacia de Homicídios diz que delegado morto foi atingido com tiros de armas diferentes


- Publicidade -

Em entrevista coletiva na madrugada deste domingo (25), o diretor da Delegacia de Homicídios de Porto Velho, Júlio César Árabe, deu detalhes do que já foi apurado por equipes policiais que investigam o tiroteio ocorrido em uma casa de eventos localizada na estrada dos Periquitos, e que resultou na morte do delegado José Valney Calixto de Oliveira, na noite deste sábado (24) e também de Rafael Simão da Silva, 37 anos.

- Publicidade -

De acordo com Júlio César Árabe, foram encontradas no corpo do delegado, projeteis de armas de diferentes calibres. Há suspeitas ainda que ele tenha sido espancado.

Ainda segundo o diretor, um homem, identificado como Edpo, vai ser flagranteado por homicídio. Ele repassou informações desencontradas de que o delegado seria o responsável por toda a confusão, mas uma das armas que pode ter sido utilizada no crime estava em sua posse, além de outras armas. Outros pedidos de prisão serão feitos.

O diretor explicou que pelo que ficou apurado, um grupo de amigos estava reunido na chácara e alguns deles foram fazer uma brincadeira com o delegado, que estava cansado. Houve uma discussão entre as pessoas que já se conheciam e várias delas sacaram as armas. E o grupo do delegado Valney foi embora. Segundo alguns depoimentos, o delegado teria voltado sozinho, o que é difícil de acreditar, segundo Júlio César, e que ainda está sendo apurado e nesse local ainda se faziam presentes várias pessoas do outro grupo. “Eles disseram que o delegado retornou sozinho ao local, mas isso será apurado, chegando no local, houve disparos de armas de fogo, que resultaram na morte do delegado, o grupo socorreu o Rafael para o hospital”.

O delegado afirma que todos que estavam na festa serão ouvidos, inclusive os donos da chácara. “Esse Edpo sacou a arma de fogo, que estava com cartucho deflagrado”, disse.
Júlio César finalizou dizendo que somente após ouvir todos os envolvidos e testemunhas poderia apresentar mais detalhes sobre o caso.



VEJA MAIS NOTÍCIAS

- Anúncio-

Agricultura

Mais notícias

- Anúncio-