Vilhena, RO, - Email: fv@folhadevilhena.com.br - telefones: 69 3322-8816 e 69 9957-2377




Mãe de copiloto sobrevivente de queda de avião revê o filho após 6 anos e o acompanha no hospital

Piloto e copiloto foram resgatados após 4 dias de queda de avião e estão internados em Cuiabá. Reencontro de mãe e filho ocorreu na ambulância durante o socorro.

Antônia Balestrin vive em Portugal e veio para Cuiabá acompanhar as buscas e a recuperação do filho no hospital — Foto: TV Centro América/Reprodução

A mãe do copiloto Marcelo Balestrin, que foi resgatado depois de ficar desaparecido por 4 dias em uma região de mata, próxima à Serra do Mangaval, em Cáceres, a 220 km de Cuiabá, não via o filho há seis anos.

Ele estava com o piloto John Cleiton Venera em uma aeronave de pequeno porte que caiu na região na última sexta-feira (30). Eles foram resgatados com vida na tarde de terça-feira (4).

Marcelo e John passaram por cirurgia nesta quarta-feira (5) e estão em observação no Hospital Santa Rosa, na capital mato-grossense.

Antônia Balestrin vive em Portugal e veio para Cuiabá acompanhar as buscas e a recuperação do filho no hospital.

Ela conta que ele ficou surpreso quando a encontrou ainda na ambulância no Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

“Quando cheguei perto da ambulância e peguei perto do pé dele, o chamei e ele disse: oi, minha mãe, a senhora está aqui’. Ele ficou muito feliz e eu também’, relembrou a mãe, emocionada.

Trajeto de avião que saiu de Pimenta Bueno para Mato Grosso, onde caiu em Cáceres — Foto: TV Globo/Reprodução

Os dois sobreviventes ainda vão ficar alguns dias no hospital em observação. Não há previsão de alta. Eles passaram por cirurgia. John quebrou uma das pernas e Marcelo quebrou as duas.

Buscas

Os pilotos estavam muito desidratados. Parte da família veio do Paraná acompanhar as buscas e o resgate.

Piloto e do copiloto John Cleiton Venera (à esquerda) e Marcelo Balestrin (à direita) — Foto: Arquivo pessoal

Os parentes chegaram a oferecer uma recompensa para quem fornecesse informações que ajudassem na localização da aeronave.

A Força Aérea Brasileira (FAB) se mobilizou para o resgate e usou um avião com alta tecnologia para localizar o ponto exato onde estava a aeronave.

Piloto e copiloto foram resgatados após queda de avião na Serra do Mangaval, em Cáceres — Foto: FAB/Divulgação

O avião da FAB tem sensores especiais para buscas noturnas e grande autonomia. Isso foi decisivo para encontrar os sobreviventes. O piloto e o copiloto foram retirados da mata com o helicóptero H-60 Black Hawk, uma aeronave usada em operações especiais.

Apesar do mau tempo e da área isolada, as equipes tiveram sucesso, encontraram os dois tripulantes abrigados embaixo do avião, bastante destruído.

Piloto e copiloto foram resgatados após queda de avião na Serra do Mangaval, em Cáceres — Foto: FAB/Divulgação

A família disse que eles sobreviveram porque o piloto é prevenido: ele levou salgadinhos e alimentos na viagem.

Quando sobrevoava a região de Cáceres, próximo à fronteira com a Bolívia, o piloto enfrentou chuva forte e perdeu a visibilidade.
Ele não percebeu quando aeronave começou a perder altitude e acabou batendo nas árvores.

Licença

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) disse que a aeronave tinha uma autorização especial válida por 30 dias.

Imagem divulgada pela FAB mostra destroços da aeronave na região da Serra do Mangaval — Foto: FAB/Divulgação

A aeronave estava com a licença de voo cancelado pela Anac. Porém, o dono do avião disse que já estava regularizando a situação e que tinha autorização para levar no avião até Mato Grosso para passar por manutenção.

O avião decolou em Pimenta Bueno (RO) e seguia para Santo Antônio do Leverger, a 35 km de Cuiabá, onde passaria por manutenção.

Os próprios militares da FAB ficaram surpresos ao encontrar os sobreviventes em um local tão isolado. Vinte e sete militares ajudaram nas buscas.

 

Texto: Ricardo Mello
Fonte: TV Centro América/G1MT

Comente

comentários

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta