Chupinguaia: empresas perdem produção e interrompem atividades por falta de energia elétrica - Folha de Vilhena
<

Chupinguaia: empresas perdem produção e interrompem atividades por falta de energia elétrica

Editoria Jornal abril 4, 2017 0


Dede o ano passado, a constante falta de energia elétrica no município de Chupinguaia está deixando prejuízos em todos os setores da atividade econômica. Sem energia elétrica, os empresários já começaram a contabilizar os prejuízos.

Desde que iniciaram-se as interrupções de energia na cidade, agências bancárias não conseguem atender seus clientes, bombas de combustível em postos queimam e ficam impedidos de realizar o abastecimento de veículos, o trabalho nas repartições públicas param, visto que servidores não conseguem realizar trabalhos internos e de atendimento ao público e o sistema de informática nas unidades policiais também não pode ser usado pelo blecaute, enfim a cidade para e com isso os prejuízos disparam.

Para saber como anda a situação no município, a reportagem do site Folha de Vilhena conversou com os vereadores e empresários da cidade e, na entrevista, os parlamentares municipais destacaram que o ofício nº 016/2017 assinado por todos os vereadores já foi encaminhado para o Coordenador da Eletrobrás no município de Vilhena e que agora esperam informações acerca da reiterada e cotidiana falta de energia que vem ocorrendo em Chupinguaia.

Por outro lado, o empresário Valdecir Bagatolli frisou que é necessário que haja no mínimo bom censo por parte da distribuidora de energia, uma vez que o fornecimento de energia elétrica e outros serviços qualificados como essenciais devem ser de qualidade e contínuo. “Hoje, o município tem uma micro usina que produz energia de sobra para a cidade de Chupinguaia, mas a mesma está ligada ao sistema nacional, por isso a energia é levada para o brasil inteiro”, diz o empresário Valdecir.

Vereadores e empresários irão propor uma ação judicial contra a Eletrobras Distribuição Rondônia, para pedir o ressarcimento dos prejuízos causados durante todo este tempo. Estipula-se que o prejuízo soma mais de três milhões de reais.

 

Texto e foto: Redação

 

 

 

 

 

Comente

comentários


Deixe uma resposta »