Censo do Iperon exige comprovante autenticado em cartório - Folha de Vilhena
<

Censo do Iperon exige comprovante autenticado em cartório

Abel Labajos fevereiro 7, 2017 0


Os beneficiários do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Rondônia (Iperon), pensionistas e aposentados que optarem por fazer o recadastramento online terão que encaminhar ao Instituto um  documento para a finalização da regularização pelo sistema, que é a Declaração de Vida e Residência, que serve para provar junto à Previdência que o aposentado está vivo.

“Há casos em que os familiares acabam deixando de informar ao Instituto o falecimento do beneficiário e os proventos continuam sendo destinados à conta dele mensalmente”, disse a diretora de Previdência do Instituto, Universa Lagos.

No site do Iperon http://www.rondonia.ro.gov.br/iperon/, no mesmo link do censo estão disponibilizados dois modelos de Declaração, uma para o próprio beneficiário e outra para  o representante legal, em caso de tutela, curatela ou guarda judicial. Neste caso o termo deverá ser anexado à Declaração. Em ambos os casos, a assinatura do beneficiário e do representante deverá ser reconhecida  por autenticidade em Cartório.

O reconhecimento de firma por autenticidade comprova que o interessado esteve pessoalmente no Cartório, e certifica que o mesmo está vivo, ao contrário do reconhecimento de firma por semelhança, que pode ser feito por terceiros, sem a presença do interessado.

ALUGUEL

Beneficiários da Previdência que não possuem comprovante de endereço no próprio nome, também precisam comprovar residência. Neste caso, o proprietário do imóvel terá que fazer uma declaração com firma reconhecida por autenticidade, confirmando a moradia do beneficiário. Quando o pensionista ou aposentado morar com um parente, como pais, filhos ou irmãos, basta comprovar a afinidade, por meio de documentos de identidade.

Neste mês estão sendo convocados para o recadastramento os aposentados e pensionistas nascidos em fevereiro. O sistema  também está recebendo a regularização de informações dos beneficiários nascidos em janeiro e que deixaram de se cadastrar.

Rosa Alves Chaves, aposentada do Instituto e que faz aniversário em fevereiro, disse que assim que soube do recadastramento procurou logo o órgão para não correr o risco de deixar para a última hora.

Texto: Alice Thomaz
Fotos: Alice Thomaz

Comente

comentários


Deixe uma resposta »