Bombeiros registram dois incêndios criminosos em residências abandonadas de Vilhena - Folha de Vilhena

Bombeiros registram dois incêndios criminosos em residências abandonadas de Vilhena

Folha de Vilhena fevereiro 1, 2017 0

Nos dois casos, os imóveis estavam abandonados e colchões foram queimados

O primeiro chamado dando conta de incêndio em residência aconteceu às 15 horas da tarde desta quarta-feira, 01 de fevereiro, na rua 8202 do residencial Barão do Melgaço II, em Vilhena.

Um caminhão de combate a incêndio e uma unidade de resgate do Corpo de Bombeiros deslocaram-se ao endereço, tendo sido constatado que o imóvel estava abandonado e que uma das janelas havia sido arrombada.

No local, os bombeiros exterminaram as chamas que consumiam um colchão que foi incendiado por criminosos.

A residência encontra-se à venda e  vizinhos avisaram o proprietário quanto ao sinistro.

Eram por volta das 15h20 quando a central de operações do Corpo de Bombeiros foi informada de outro incêndio, desta vez  num conjunto de quitinetes localizado na avenida Rondônia, do bairro Parque Industrial Novo Tempo, no setor 19, próximo da BR-174.

As unidades de combate a incêndio deslocaram-se ao endereço, onde mais um colchão foi incendiado no interior de um dos apartamentos que encontrava-se abandonado.

Vale ressaltar, que este conjunto de apartamentos é usado como ponto de venda e consumo de entorpecentes, bem como é refugio de criminosos, tendo a Polícia Militar realizado diversas operações no local e inclusive, um homicídio já foi registrado neste mesmo conjunto habitacional.

Os bombeiros exterminaram as chamas, evitando a propagação do sinistro aos apartamentos vizinhos.

No momento em que a reportagem encontrava-se no endereço, um dos usuários pediu para que nos retirássemos do local, alegando que ali era perigoso para nossa segurança física.

Ambos os casos de incêndio foram registrados na Delegacia de Polícia Civil que deverá apurar se há ou não uma ligação entre os incêndios criminosos registrados nesta tarde.

 

 

 

 

Carlos Mont Serrate

Folha de Vilhena

Comente

comentários

Deixe uma resposta »